Home / Destaque / Menina deixa o hospital 6 anos após nascer e vira dama de honra da mãe

Menina deixa o hospital 6 anos após nascer e vira dama de honra da mãe

Sarah Vitoria – foto reprodução G1

A entrada de Sarah Vitória da Silva Gonzaga no salão de festas todo decorado era aguardada por todos os presentes à cerimônia de casamento marcada para as 17h do domingo, 17 de dezembro de 2017, na cidade de Poá, na Grande São Paulo. Mas Sarah não era a noiva.

A ansiedade dos convidados, no entanto, tinha um motivo. Sentada em uma cadeira de rodas e empurrada pela irmã mais velha, Sarah, de apenas 6 anos, entrou levando a aliança para os pais, poucos meses após deixar o hospital onde ela tinha vivido desde que nasceu.

 A dama de honra se transformou na principal atração do casamento. E o dia coroou um ano de página virada: de realização e renascimento. “2017 significou tudo. Foi a mudança na minha vida. Os seis anos que eu perdi, ganhei tudo agora”, resume a mãe, a dona de casa Cíntia Patrícia Gonzaga.

Virei a página em 2017 é uma série de reportagens do G1 que vai contar histórias de pessoas que, como Sarah, alcançaram um sonho, superaram uma dificuldade ou mudaram de vida neste ano que termina.

A menina nasceu no Hospital Santa Marcelina em 1º de março de 2011, no Itaim Paulista, Zona Leste de São Paulo, mas só deixou o hospital seis anos e quatro meses depois, em uma sexta-feira, 18 de agosto de 2017.

Sarah tem encefalopatia e não consegue respirar sem aparelhos. Só pôde receber alta porque conseguiu a doação de um respirador mecânico, equipamento que custa cerca de R$ 11 mil.

Para receber Sarah, Cíntia comprou um terreno em Suzano, cidade próxima a São Paulo, e construiu uma casa equipada com UTI.

Trocar o mundo de paredes assépticas, macas e sondas por um ambiente mais humano foi um diferencial.

Cintia também é mãe de Melissa, de 16 anos, Jaldson, de 13, e Miguel, de 4 anos. Antes de a menina ter alta, a rotina era estafante. “Depois que ela teve alta, mudou tudo. Não tive mais que sair de casa, posso acordar mais tarde. Posso ficar mais tempo com ela também. Antes, eu tinha de correr para casa para dar banho nos irmãos. Hoje, comemos todos juntos. Antes, sempre faltava a Sarah.”

A cerimônia de casamento da mãe foi o primeiro evento do qual Sarah participou após deixar o hospital. “Só estava esperando ela sair pra gente casar”, conta Cíntia, que está junto com o agora marido há mais de 12 anos.

A entrada da garota na cerimônia de casamento aconteceu exatamente do jeito que mãe imaginou. “Tinha esperança de trazer ela e acontecer esse momento. Nunca perdi a esperança. Não tem explicação, porque estou muito emocionada e não sei o que falar. Eu estou tremendo, sem ação. Foi do jeito que eu planejava, foi do jeito que eu sonhei. Estou muito feliz.”

Para 2018, a mãe vai continuar investindo na recuperação da menina. “Espero uma evolução para ela. Correr atrás para a fisioterapia, para ela estar andando”, diz.

Fonte G1 – São Paulo

Veja Também

Medo de multidão existe?

  Sim! Você conhece alguém que não entra, sob nenhuma hipótese, em locais lotados pois ...